sair das dívidas

Sair das dívidas é o sonho de qualquer pessoa. Dessa forma, você poderia ganhar mais crédito no mercado e não precisaria trabalhar excessivamente para ganhar mais dinheiro.

Mas como você pode fazer isso? Nos tópicos a seguir, veremos 5 dicas úteis que vão lhe ajudar a sair das dívidas agora mesmo.

1.    Para sair das dívidas, evite acumular novas

Se você quiser reduzir e cancelar suas dívidas evite fazer novas antes de pagar as antigas. Pois quanto mais dívidas você acumular, mais bens lhe serão tirados a troco de novas finanças.

Também você alcançará um limite além do qual nenhum banco ou instituição financeira estará mais disposto a lhe dar crédito.

2.    Vender itens não utilizados

Com essa técnica você atinge dois objetivos: recuperar recursos úteis para pagar suas dívidas e esvaziar a garagem ou a dispensa, algo que não seria tão ruim assim!

Não importa o valor que você arrecadar, deposite em uma conta separada da que você normalmente usa para suas despesas, e quando você atingir um bom nível, você já sabe o que fazer.

3.    Negociar as condições

No banco tudo é negociável, mas você deve ter uma contraparte pronta para oferecer, especialmente para as dívidas em que você não oferece garantias.

Lembre-se de que você tem vantagens, porque se por algum motivo você parasse de pagar, seria um problema para eles. E, de qualquer forma, se você pudesse tirar até mesmo uma pequena comissão para pagar a prestação, já seria um bom resultado.

4.    Reduza as despesas

Sente-se e anote todas as suas despesas diárias e mensais e pense em como você pode reduzi-las.

Verifique suas faturas. Você pode economizar dinheiro usando apenas lâmpadas economizadoras de energia e máquinas de lavar apenas nos finais de semana, assim você economizará 40% da sua fatura.

Use raciocínios semelhantes para todas as despesas essenciais. Faça o teste por um ou dois meses e verá os resultados

5.    A técnica “Snowball”

A técnica “Snowball” é extremamente eficaz e aumenta surpreendentemente o seu nível de satisfação.

O conceito é simples:

Se você tirar um pouco de neve e juntá-lo em suas mãos formando uma pequena bola e depois descer “montanha abaixo”, pouco a pouco a bola vai aumentar de volume e, uma vez que chegue ao vale, ela se tornará enorme.

Aqui, você precisa recriar o mesmo efeito. Faça uma lista de todas as suas dívidas, da menor a maior em termos de capital a ser pago. Se duas dívidas tiverem capital semelhante, insira aquela com a maior taxa de juros em primeiro lugar.

Depois disso, concentre todos os recursos disponíveis para pagar a parcela menor da dívida, enquanto para os outros você paga o mínimo (talvez até mesmo a taxa de juros).

Sempre que você fechar uma dívida, use os recursos adicionais para atacar o valor principal da próxima dívida, e assim por diante. Você verá que cada passo aumentará sua capacidade de economizar e, portanto, também de ação.

6.    Reinvestindo somas adicionais

Seu objetivo é reduzir o valor principal de suas dívidas. Por esse motivo, todas as somas adicionais que você recebe devem ir nessa direção, sem exceção.

Bônus de trabalho, décimo terceiro, prêmio, herança, presente, bônus de imposto, descontos. Todas as somas recuperadas devem ser reinvestidas em seu único objetivo, reduzir o valor do principal!

Você pode acumular essas receitas extras e investi-las por um período, formando um capital que pode reduzir significativamente ou encerrar permanentemente sua dívida.

Conclusão

Gostou das dicas? Então não deixe de coloca-las em prática agora mesmo. Elas com certeza lhe ajudarão a sair das dívidas em pouco tempo, e poderá voltar a usar seu dinheiro para si mesmo em pouco tempo.